Pesquisar no Portal

  

Newsletter

Inscreva-se!


 

 

  
Confirmar

Nós valorizamos a sua privacidade. Nós nunca iremos alugar, vender, ou usar o endereço de email para outra coisa senão os serviços que você pedir especificamente.


  

AdSense Texto - 300x600


  

 

O que fazer ao meu eletrodoméstico velho?

 
Para se desfazer do seu eletrodoméstico velho, tem várias opções:

Como me livrar do meu electrodoméstico velho?1. Pode trocá-lo gratuitamente na aquisição de um novo (consulte a sua loja habitual)
A loja onde adquirir o novo eletrodoméstico é "obrigada" a aceitar o equipamento antigo e a encaminhá-lo para a entidade gestora ou um operador que trate da sua triagem, desmantelamento e reciclagem ou possível reutilização total ou parcial de componentes para revenda ou reparação. Isto é ainda válido para os equipamentos entregues ao domicílio. 
Caso essa obrigação não seja cumprida, pode denunciá-la na linha SOS Ambiente e Território (808 200 520).

2. Se não comprou nenhum eletrodoméstico novo, pode entregá-lo gratuitamente num centro de receção de REEE (Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos) próximo de si. 
Deixar um equipamento elétrico ou eletrónico de grande porte ao lado do contentor do lixo ou dos ecopontos, para além de ser prejudicial para o ambiente, dá direito a coimas que podem exceder os 3.000 euros. Caso não tenha como transportar, por si próprio, um aparelho de grande porte para o centro de receção, pode também contatar os serviços municipais (Câmara Municipal ou Junta de Freguesia) e marcar um dia e uma hora para a recolha. 

Nunca o deposite na via pública, fora do horário combinado.

 3. Caso o aparelho ainda esteja a funcionar ou possa ser reparado, pode doá-lo a uma instituição
Por exemplo, pode ser entregue à Entrajuda, que o encaminha para instituições de solidariedade social, através do Banco de Equipamentos.

O que acontece ao meu eletrodoméstico velho?
De acordo com a legislação em vigor e desde 13 de Agosto de 2005, os Distribuidores (Grossistas ou Retalhistas) são responsáveis por assegurar gratuitamente a recolha de REEE, sem encargos para o detentor, na compra de um eletrodoméstico novo. Assim, no acto da compra de um Equipamento Elétrico e Eletrónico novo, e que desempenhe as mesmas funções que o REEE (resíduo) que detém, pode entregar este último, o qual, aliás, deve ser recebido gratuitamente. Se, em consequência das dimensões ou peso do REEE que detém não o puder transportar, pode solicitar à entidade que procede à venda do equipamento novo que recolha no seu domicílio o REEE, o que deverá também ser feito gratuitamente.

Uma vez devidamente entregues, os REEE vão para um centro de consolidação para triagem onde:
1. As organizações não governamentais podem reaproveitá-los para os distribuir aos mais carenciados
2. Ou são transportados para valorização e/ou reciclagem. Os materiais reciclados são, por sua vez, separados e usados como novas matérias-primas.

Segundo os dados da Comissão Europeia, dos REEE produzidos, mais de 90% são depositados em aterros ou incineram-se, o que tem custos elevados para o ambiente, visto que estes equipamentos contêm substâncias perigosas que, além de contaminarem o solo, o ar e as águas subterrâneas, apresentam riscos para a saúde humana.
Em alternativa, os REEE devem ser encaminhados para os centros de receção, que os armazenam até serem recolhidos pela entidade gestora que os encaminha para reciclagem. Alguns desses centros coincidem com os ecocentros municipais ou intermunicipais. Outros funcionam em empresas e distribuidores, como é o caso de alguns hipermercados.

Os centros de recolha
Na maioria dos centros de receção, o horário de funcionamento limita-se aos dias úteis, durante as horas de expediente e nem todos recebem os vários tipos de resíduos abrangidos pela lei, pelo que um contato prévio é sempre útil.

Em Portugal, existem duas entidades gestoras de REEE, a Amb3E e a ERP Portugal. Ambas têm uma rede de centros de receção, onde pode deixar os seus REEE. Para saber qual o centro mais próximo de si, clique nas respetivas entidades e faça a sua pesquisa.

Além dos centros de receção, existem outros locais onde também se pode fazer a entrega dos pequenos eletrodomésticos antigos, desde que não excedam os 55 cm, com exceção das lâmpadas, os Pontos Eletrão. Estão localizados em quase todos os centros comerciais do país, lojas especialistas e postos de abastecimento da Galp. Para saber qual o Ponto Eletrão mais próximo de si, clique aqui

Como de dividem os REEE?
- Grandes eletrodomésticos
- Pequenos eletrodomésticos
- Equipamentos informáticos e de telecomunicações
- Equipamentos de consumo
- Equipamentos de iluminação e lâmpadas fluorescentes
- Ferramentas elétricas e eletrónicas (com exceção de ferramentas industriais fixas de grandes dimensões)
- Aparelhos médicos (com exceção de todos os produtos implantados e infectados)
- Instrumentos de monitorização e controlo
- Distribuidores automáticos


O que é o ECOVALOR?
O processo de tratamento dos REEE (Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos) tem um custo para o consumidor pois, ao preço do novo aparelho, é adicionada uma taxa, denominada de ECOVALOR, cuja aplicação explica, por si só, a obrigatoriedade do vendedor aceitar os aparelhos usados. É esta taxa que financia o processo de recolha, triagem e reciclagem dos REEE.
 

 


  

Parcerias
 

 
 

Aluguer de insuflaveis, festa de aniversário infantil, brinquedos, artigos para festas e brinquedos para bebe.


  

Siga-nos


  

Menu Rodapé
Webdesign & Webmarketing by Webdesign & Webmarketing by PWM - Power Web Marketing

  

Banner Adsense 728 x 90


  

Privacy Statement  |  Terms Of Use
Copyright 2009 by Portal do Electrodoméstico