Portal do Electrodom�stico
Pesquisar no Portal

Newsletter

Inscreva-se!


 

 

  
Confirmar

Nós valorizamos a sua privacidade. Nós nunca iremos alugar, vender, ou usar o endereço de email para outra coisa senão os serviços que você pedir especificamente.


AdSense Texto - 300x600


 

 

O que é a etiqueta de eficiência energética

 
 

 

A etiqueta de eficiência energética foi criada com o objectivo de informar o consumidor, no momento da compra, sobre determinadas características dos electrodomésticos, utilizando uma classificação para identificar os mais e os menos eficientes.

 
Para além da eficiência no consumo de energia, a etiqueta de eficiência energética apresenta informação sobre outras características dos equipamentos como por exemplo o ruído que produzem.

A certificação através desta etiqueta, regulamentada por lei, é já obrigatória para lâmpadas e vários electrodomésticos: máquinas de lavar loiça, lavar roupa e secar roupa, frigoríficos, combinados e arcas, equipamentos de ar condicionado e ainda fornos eléctricos.

A etiqueta deve estar afixada de forma a ser bem visível e tem de apresentar toda a informação exigida por lei. No caso de fornos com múltiplos compartimentos, cada um deles tem que ter etiqueta própria (com excepção dos compartimentos excluídos do campo de aplicação da etiqueta). Também na venda por correspondência é obrigatória a sua disponibilização ao consumidor.

A classificação da eficiência energética, que vai da classe A (mais eficiente) à G (menos eficiente), indica se um electrodoméstico consegue realizar as suas funções utilizando mais ou menos energia, sendo assim menos ou mais eficiente, respectivamente. No caso dos equipamentos de frio já existe a classificação A+ e A++.

É importante ter em conta que a potência do equipamento não está directamente relacionada com a sua eficiência energética. Um aparelho ter uma potência de 750W ou de 1000W significa que usa mais ou menos energia a trabalhar, embora não diga se ele usa mais eficientemente ou não a energia que consome. Essa é precisamente a informação dada pela classe de eficiência energética do equipamento.

Para dar uma noção do que significa um equipamento ser de classe A ou B, no caso das máquinas de lavar roupa uma máquina de classe B pode consumir cerca de 21% a mais de energia do que uma de classe A, sendo que os dois equipamentos realizam a mesma função.

A etiqueta energética é comparável entre equipamentos que realizam o mesmo tipo de funções. Por exemplo, se está na dúvida entre comprar uma máquina de lavar e secar roupa e comprar uma máquina de lavar e outra de secar, não poderá comparar a classe energética dos diferentes equipamentos. O mesmo acontece na escolha dos equipamentos de frio: na compra de um frigorífico, não poderá comparar a classe energética de um combinado com a de um frigorífico que não tem congelador ou com um frigorífico americano.

A informação a disponibilizar na etiqueta depende do electrodoméstico em causa. Um aspecto importante para o nosso conforto e que por vezes não aparece é o ruído produzido pelo equipamento. Nas máquinas de lavar roupa e loiça é preciso ter também em atenção as eficiências de lavagem, de secagem (máq. Loiça) e de centrifugação (máq. Roupa), que são medidas na mesma escala da eficiência energética (A a G) e que têm que estar presentes na etiqueta. Esta informação é de extrema importância, uma vez que ao adquirir uma máquina com uma boa eficiência energética mas cuja eficiência de lavagem seja má (C ou inferior), significa comprar um equipamento que não exerce as suas funções nas melhores condições.

Uma ideia generalizada é que um equipamento mais eficiente, e portanto melhor, é necessariamente mais caro – o que na realidade não se verirfica. De facto, não se verifica qualquer relação entre eficiência e preço para qualquer uma das gamas de electrodomésticos abrangidos por esta classificação. É mesmo possível encontrar equipamentos de classe C consideravelmente mais caros do que outros de classe A, sendo que nesta classe mais eficiente existem bastantes equipamentos a preços acessíveis.

No entanto, mesmo tendo de pagar um pouco mais por um equipamento mais eficiente, esse investimento será mais tarde recuperado na redução do consumo energético que o equipamento irá proporcionar. Ao optar por um mais barato e menos eficiente, acabará por pagá-lo em prestações na factura da electricidade.
 

Cortesia: Quercus – Ecocasa

 


Siga-nos


Banner Adsense 728 x 90


Privacy Statement  |  Terms Of Use
Copyright 2009 by Portal do Electrodoméstico