Página patrocinada por:
delonghi"

Emissor térmico, como escolher?

Como aquecer a casa no Inverno? Conheça as soluções de aquecimento com emissores térmicos de baixo consumo

Quando o frio aperta, torna-se uma prioridade procurar soluções de aquecimento que permitam o conforto no interior de uma habitação. A constante subida de preços dos combustíveis fósseis e das fontes de energia reforça a importância da procura de soluções mais eficientes para aquecimento central.

Já conhece a tecnologia de emissores térmicos?

Esta tecnologia procura responder a esta necessidade dos consumidores no inverno, através de equipamentos que prometem consumo reduzido e alta eficiência.
Que tipos de emissores existem atualmente no mercado?
Atualmente, no mercado tem ao seu dispor dois tipos de emissores:

• Emissores de fluído

• Emissores de tecnologia seca

Os emissores de fluído permitem um rápido aquecimento e temperatura elevada, através de dupla resistência em alumínio e pequena inércia térmica. Este tipo de equipamento consegue, segundo afirma o Portal Energia, o máximo rendimento com o menor consumo. As temperaturas mais elevadas e dissipação do calor são conseguidos através da prioridade dada à radição.

Por sua vez, os emissores de tecnologia seca integram uma resistência em aço inoxidável que pode permitir uma maior rapidez no aquecimento e menor consumo. A racionalização do consumo é conseguido através da regulação da temperatura em cada divisão e programação de horas de funcionamento.

Quais as vantagens dos emissores térmicos?

• Fácil instalação na parede, com ligação as tomadas elétricas;
• Grande durabilidade dos materiais e vida útil, sem necessidade de manutenção;

• Alguns modelos permitem facilidade de parametrização e comando, através de monitor digital;

• O funcionamento elétrico não liberta fumos ou cheiros que outros métodos de aquecimento deixam por toda a casa;

• Completamente silencioso;

• Facilidade de transporte para outra habitação ou divisão que seja necessário.

Como escolher a quantidade ideal para a sua casa?

Para conseguir calcular quantas unidades necessitará terá que avaliar alguns aspetos preliminares, antes da compra:
• Tipo de isolamento já existente no(s) espaço(s) a ser(em) aquecido(s);
• Número de fachadas para o exterior;
• Tipo de habitação (casa, apartamento, cidade, moradia mais isolada);
• Piso em que se encontra (casa térrea, apartamento R/C, último piso…)
• Para um cálculo completo dessas necessidades poderá consultar uma tabela informativa no Portal Energia

Como poupar e reduzir na climatização